Rua Paraguaçu, 404 | Perdizes | 05006-011

(apenas atelier, indisponível para atendimento)

© 2023 by Little Ray. Proudly created with Wix.com

  • Estela

4 dicas básicas de consciência ambiental e social para ensinar a seus filhos

Atualizado: Fev 10


Sabemos que a cada dia que passa, temos mais temas sendo abordados para conscientizar e reeducar nossa sociedade atual. Nós falhamos muito como seres humanos, e estamos nos ligando que esses fortes deslizes tem gerado consequências sociais e ambientais nunca vistas antes na história.


Nós da Mundo Pano decidimos escrever um pouco sobre esse assunto que é tão amplo e repleto de nuances, porque acreditamos que impactar pode mudar um sistema de crenças e paradigmas. Nos faz refletir, querer entender mais nossa história e enxergar com mais amor nosso passado e as mudanças que devem vir rumo ao futuro e à evolução.

Porque você, assim como nós, quer deixar o melhor mundo para suas crianças, não é?! <3


Mulheres que despertam e sentem na pele o feminismo, sendo a voz de sua luta, tem agora uma fala. Estamos cada vez mais atentas aos nossos direitos, à importância da leveza e resiliência feminina acerca de todos os campos: da natureza à justiça social. Nada está sendo apagado diante desse novo olhar feminino.

Esse olhar carinhoso e afetuoso que uma mãe tem por seus filhes. Esse cuidado e esmero são características cada vez mais alinhadas com esses novos paradigmas e esse novo olhar à natureza e a nossos amigues de outras raças, cores ou crenças, que compartilham cada pequeno espaço dessa grande e generosa mãe terra com a gente.


O desafio é como transmitir esses valores de forma lúdica e honesta às crianças. Falar sobre temas como racismo, consciência ambiental e feminismo pode acabar por as responsabilizando ou estressando, com formas moralistas e discursos falsos e/ou urgentes demais.


A primeira atitude vem de dentro para fora. O que significa rever nosso estilo de vida e os hábitos que não compactuam mais com a realidade atual, para, assim, servirmos de exemplos reais e honestos para nossas crianças. Afinal, o que adianta falar para um filho jogar embalagem no lixo reciclável se em casa você nunca fez?


Que tal se sentar e dedicar meia horinha para rever seu dia a dia e o que você ainda não está fazendo? Abaixo algumas idéias de temas básicos a serem explorados dentro de casa.


1) Hábitos como separar lixos reciclados já estão sendo obrigatórios há alguns anos. E o lixo orgânico? Já pensou no volume que esses geram nos aterros? Que tal uma composteira? Assim a gente cria um novo ciclo vivo dentro de casa e menos lixo é gerado. E acredite, não há algo mais estimulante e divertido para a criança quando ela entende a importância que as minhoquinhas tem para esse equilíbrio ecológico e como isso impacta depois. :)


2) Presenciamos nos dias de hoje, mulheres com cada vez mais carga física e emocional. Reflita: Quais vícios e atitudes você e sua família ainda mantém acerca do tema de gênero? Para as mães de meninos: Que tal ensinar seu filho que o cuidado com a casa é amor pelo lar e isso não tem gênero? Afinal, lá no futuro vai ser ele que vai construir um lar e por isso, é importante trabalhar com empatia esse assunto para que não aconteça com a família dele o que pode ter acontecido com a sua.


3) Reduzir consumo gera menos lixo e ninguém melhor que você, que tem o poder de compra e é, por isso, responsável pela economia familiar, para ensinar isso desde já.


4) O racismo está estruturado. Ou seja, temos ações diárias das quais nem sequer percebemos. Que tal pensar na forma como você e/ou sua família se relaciona com pessoas de outra raça e cor e com pessoas de condições sociais menos favorecidas... Isso inclui palavras e frases racistas que usamos todos os dias.

Desconstrua e ensine um adulto do futuro a ser tolerante e amoroso com quem é diferente dele.


Esses e outros temas pensados e praticados de forma sistêmica, um em continuidade e sintonia com o outro, demonstram mais firmeza de estrutura e caráter, fazendo com que seus filhos reproduzam ações mais humanas como essas de forma confiante e genuína.